quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Natal sem Dente na Casa de Parente


O natal da minha família sempre tentou ser somente um natal tradicional, mas felizmente nunca conseguiu, e a cada ano nos superamos e algo inacreditável ocorre. No último natal aconteceu um fato tão bizarro que chega a ser egoísmo não dividí-lo com você. E esse será o meu presente de natal a todos os leitores desse Blog...


Jingle bells, jingle bells, jingle all the way ...

O papai noel tamanho real (não me perguntem como sabem que é tamanho real) que minha avó havia comprado cantava e rebolava quando cheguei com meus pais e irmãos em sua casa. As tias chatas estavam a postos falando mal dos parentes que ainda não tinham chegado - mudaram de assunto assim que chegamos - os primos em tamanho miniatura corriam feito pinschers pela casa toda e os mais velhos ainda não tinham chegado.

Por volta das onze horas começamos o amigo secreto. Pedi pra começar e milagrosamente me deram essa honra. Descrevi quem tirei:

1. Um sujeito desastrado;
2. Incoveniente;
3. Geralmente engraçado e;
4. Com uns 200 kilos destribuidos nos seus 1,90m...

A família respondeu em coro: Frank! Era o irmão do meio de minha mãe, o tio preferido de todos os sobrinhos e filho e marido indesejado. A brincadeira continuou com ora alegria, ora decepção, eu por exemplo ganhei um conjunto de sabonete líquido e shampoo, será que sou tão fedido?

A ceia foi servida pouco após a meia-noite, depois de rezarmos o pai-nosso. Nunca tinha visto uma mesa tão farta, era uma pena eu ter me enfartado tanto com queijo e salgadinhos, mas pelo menos pro famoso tender preparado pelo meu avô eu tinha um lugar guardado. Tio Frank sentou numa das cabeceiras da mesa de 2 mil metros e gentilmente pediu ao meu pai, que estava no meio da mesa:

- ALFREDO, PASSA O PERU!

Ele cortou quase um kilo de peru e a coxa que sempre dizia ser sua por direito, sabe-se lá por que, e depois da primeira garfada voltou a falar:

- PORCARIA! Meu dente caiu ! Alguém me ajude a achar esse infeliz nesse prato.

Só minha vó conseguiu parar de rir e ajudar o abestado, o dente estava no meio da salada, e o prato dele era maior que os dos outros tios juntos. Ele pegou o dente e saiu resmungando para a cozinha. Após todos acalmarem os ânimos continuamos jantando, quando de repente vem o tio Frank correndo da cozinha pulando e sem abrir a boca, totalmente desesperado com uma Super Bonder na mão. Colou além do dente a boca...

-Maravilha! - Meu pai não aguentou e foi o primeiro a gargalhar.

Metade da família interrompeu o jantar e foi levá-lo ao hospital enquanto a outra metade ficou rindo da situação. Após duas horas o resgate em família retornou com tio Frank puto da vida, ele nem respondeu às provocações e foi terminar o seu prato, ficando ainda mais enfurecido ao perceber que roubaram a coxa do seu prato.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Uma Vida Nas Alturas

Tripulação, decolagem autorizada.

O coração de Ana Maria estava mais acelerado que os dos torcedores do Vasco no jogo do rebaixamento, era seu primeiro vôo, todos os seus amigos e familiares foram levá-la ao aeroporto - nenhum deles tinha viajado de avião também, isso não era comum na década de 60 - ela estava saindo do Rio de Janeiro para Miami, queria parir ao lado do marido, que prestava serviço lá há um ano para uma empresa de engenharia brasileira. E seu filho teria além do suporte de uma das melhores maternidades do mundo, dupla nacionalidade.

Para não viajar sozinha insistiu que a irmã, Beatriz, fosse com ela, alegou ser covardia deixar uma irmã com uma barriga de sete meses sozinha numa máquina daquelas, se era pra sofrer que sofressem em família.

O comandante anunciou que poderiam retirar o cinto de segurança e que em poucos minutos seria servido o serviço de bordo.

Ana comeu o seu jantar e o da irmã, a qual estava completamente imóvel esmagando um terço entre seus magros e longos dedos.


- Está com medo Bia?

- Não tanto, mas começo a duvidar de que eu tenha coragem para viagem de volta. E você está bem?

- Estou sim, só queria que você me ajudasse a ir ao banheiro, bebi muito suco e acho que não segurei, estou toda molhada.

- Como é? Deixe eu dar uma olhada.... Sua bolsa rompeu!! Socorro! Minha irmã entrou em trabalho de parto!!


O avião sobrevoava a floresta amazônica neste momento. Haviam três médicos no vôo, mas logo que o primeiro se apresentou os outros preferiram voltar a dormir. A comissária levou as irmãs e o médico para a primeira classe e ficou para ajudar. O doutor se impressionou quando viu que o parto não demoraria mais de uma hora. E aconteceria ali mesmo, no avião.

As contrações se tornavam mais intensas, Ana gritava mais alto e com maior intensidade, os de sono mais pesado iam também acordando, as crianças choravam e se esperneavam, as mulheres estavam em pânico e os homens aterrorizados.

O médico disse já estar vendo a cabeça de Clarice, chegara o momento tão esperado, em frações de segundos o resto do corpo deslizara para fora... Não era Clarice, era Ricardo, o pai vencera a aposta.
Um fato desses costuma render uma boa audiência na mídia, então, assim que o avião pousou em Miami, no início da manhã, além de carros da polícia, paramédicos e bombeiros (pra quê bombeiros?) estavam vans de todas as redes de televisão, e é claro, o pai.

Foram todos levados à maternidade e liberados no mesmo dia à noite. As irmãs juravam nunca mais entrar num avião, e assim foi feito, moram lá até hoje. Beatriz se casou com um ricaço de Palm Beach que era o responsável pelas provas da Nascar no estado e exerce com maestria a profissão de mulher de milionário; Beatriz escolheu a luxuosa orla de Miami Beach e se dedicou aos filhos, depois de Ricardo teve duas meninas, ambas nascidas em solo firme, e; seu marido (vai terminar sem nome mesmo) foi contratado pela Odebrecht - Miami.

O menino que nasceu nas nuvens cursou a escola de aviação e hoje pilota Boeings de Los Angeles ao Japão, casou com uma aeromoça inglesa e mantém um apartamento espaçoso em frente ao Central Park. Quando tem tempo vai com a família visitar os pais e tios na Flórida e o restante da família que ficou no Brasil, além dos sogros em Londres. É, uma vida nas alturas.

domingo, 30 de novembro de 2008

24 Horas - Agora É Real


Quem assistiu à sexta temporada de 24 Horas se deparou com um EUA vivendo o caos: terroristas possuíam bombas atômicas em solo americano, detonam uma e ameaçam detonar as restantes. Criatividade? Parece que não, talvez os roteiristas da série não sejam tão originais assim.

Recentemente vários blogs têm divulgado uma entrevista assustadora entre a TV Al-Jazeera e o suposto terceiro comandante da Al Qaeda, apresentado como "Sr. Mohammed Al-Asuquf, doutor em física e mestrado em economia internacional" - seria Asuquf anagrama de Fuq USA?

Seis pontos que envolvem esse fato devem ser destacados:
Primeiro: A rede Al-Jazeera nega que qualquer um de seus repórteres tenha realizado a entrevista.

Segundo: Esse tal de Asuquf provavelmente nem existe, o FBI não o reconhece e o Google (mais confiável que o FBI) só encontra resultados relacionados a essa entrevista, vista como um trote, quase todos em português. Português? Por quê?

Terceiro: A entrevista teria sido enviada ao jornalista Abel-Bari Atwan, editor-chefe do jornal árabe Al Quds, publicado na Inglaterra, que se negou a publicá-la por considerar o conteúdo revelador - tanto o jornal como o jornalista existem de fato:
Mapa da sede do Al Quds/Site.

Quarto: Segundo os dados mais consistentes e antigos a entrevista foi divulgada no fim de 2002, através de uma cópia que chegou a Foz do Iguaçu e foi traduzida por um misterioso professor universitário - a cidade é uma das maiores concentrações de árabes do mundo, fazendo fronteira com Argentina e Paraguai e; a região foi tida como possível HQ de terroristas para ataques anti-EUA feitos a partir da América do Sul logo após a divulgação da "falsa"-entrevista, pelo antigo secretário de estado americano Colin Powell.

Quinto: Dados como o PIB dos EUA, detalhes sobre antigas guerras e nomes como: Serguei Ivanov, citado como ministro de defesa russo (é também atual vice - primeiro ministro) e o sueco Hans Blix - chefe da equipe de inspetores da ONU na ocasião e atualmente um diplomata que diz temer mais o aquecimento global que armas de destruição em massa - são todos fatos consistentes.

Sexto: Seis pontos? Só eram cinco, acho que me enganei, ou Bin Laden apagou o rascunho.

Leiam agora a entrevista:

(Contém Spoiler para 24h)

Al-Jazeera - Qual o objetivo da rede Al Qaeda?
Al-Asuquf - Destruir o Grande Satã, isto é, os Estados Unidos e Israel.

Al-Jazeera - Por quê?
Al-Asuquf - Os USA vem ao longo de 60 anos impregnando o mundo com a sua arrogância, ganância e maleficência. É a encarnação de tudo que é mau. As pessoas que vivem nesse planeta não merecem este martírio.

Al-Jazeera - Esta visão não é um tanto unilateral?
Al-Asuquf - Não, é só você observar os últimos acontecimentos. O desrespeito ao tratado de Kyoto, o caso do Tribunal Penal Internacional Permanente, a inatividade em relação aos nossos irmãos palestinos, a ganância financeira com especulações absurdas sobre os países do Terceiro Mundo, o descaso completo com outros povos oprimidos e outras infinidades de situações que todos os chefes-de-estado ao redor do mundo conhecem. E para coroar a situação: a doutrina Bush de "atirar primeiro e perguntar depois". Isso é um abuso inaceitável e, portanto terá conseqüências muito graves.

Al-Jazeera - Mas o desenvolvimento e a influência americana não são frutos de uma competência?
Al-Asuquf - Competência em extorquir, competência em subjugar, competência em mentir. Após a Segunda Guerra Mundial, o USA era o único país industrializado com o seu parque de fábricas intacto. Emprestando dinheiro, como um bom agiota, acabou por se tornar um pais muito rico e poderoso, porem, sua ganância não foi reduzida. Hoje os americanos vivem como nababos, desperdiçam como nenhum outro povo, gastam cerca de 80 bilhões de dólares, por ano, só em apostas. Perderam a noção de espiritualidade e vivem em constante pecado. A cada dia que passa os USA demonstram que não sabem viver com os outros povos, por isso, merecem ser destruídos.

Al-Jazeera - Não seria mais fácil assassinar o presidente George W. Bush?
Al-Asuquf - Em primeiro lugar não iria adiantar nada, além, talvez, de transformá-lo em mártir. Quando você tem um inimigo poderoso pela frente a melhor estratégia é não matá-lo e sim, fazê-lo perder a liderança por incompetência e deixá-lo viver para ver isto acontecer.

Al-Jazeera - A rede Al Qaeda tem capacidade bélica de guerrear com o USA?
Al-Asuquf - Se analisarmos a história, veremos que toda grande guerra antes de ser iniciada era baseada em conceitos já estabelecidos. Mas observando bem, estes conceitos e estratégias de nada adiantaram, pois uma outra forma de guerra estava por ser travada. Um exemplo foi a construção da Linha Maginot pelos franceses, após a Primeira Guerra Mundial, e que na realidade, se mostrou completamente inútil diante das forças invasoras. Os porta-aviões, submarinos nucleares, satélites espiões de nada adiantarão na próxima guerra.

Al-Jazeera - Autoridades americanas mantêm mais de 1000 pessoas suspeitas de terrorismo após 11 de setembro, isto não compromete os planos da Al Qaeda?
Al-Asuquf - Destas pessoas presas talvez 20 ou 30 pertençam a Al Qaeda. Porém, são do segundo escalão. Nós possuímos mais de 500 integrantes do primeiro escalão e 800 do segundo escalão dentro dos USA.

Al-Jazeera - O que significa primeiro ou segundo escalão?
Al-Asuquf - Primeiro escalão são integrantes da Al Qaeda que se encontram no USA há mais de dez anos, muitos deles casados e com filhos. Conhecem por alto os planos e estão apenas aguardando um telefonema. Também são conhecidos por "adormecidos". Os de segundo escalão chegaram nos últimos cinco anos e não possuem a mínima idéia dos planos.

Al-Jazeera - Mesmo os casados, com filhos, estariam dispostos a morrer com suas famílias?Al-Asuquf - Sim. Todos estão dispostos a morrer. Vide 11 de setembro.

Al-Jazeera - Nos planos gerais da Al Qaeda o que foi 11 de setembro?
Al-Asuquf - Numa escala geral, foi apenas o início. Foi apenas uma maneira de chamar a atenção do mundo para o que ainda virá.

Al-Jazeera - Quantos membros a Al Qaeda possui?
Al-Asuquf - De primeiro escalão, perto de cinco mil, de segundo escalão, perto de 20 mil ao redor do mundo.

Al-Jazeera - Na prisão de Guantánamo tem algum integrante do primeiro escalão?
Al-Asuquf - Não, inclusive muitos nem são da rede Al Qaeda.

Al-Jazeera - Como a Al Qaeda pretende destruir a nação mais poderosa de toda a história?
Al-Asuquf - É uma questão de logística. Usando o seu próprio veneno, isto é, atacando o coração do que eles consideram a coisa mais importante neste mundo, o dinheiro.

Al-Jazeera - Como assim?
Al-Asuquf - A economia americana é uma economia de falsas aparências. Não existe lastro econômico real para a economia americana. O PIB americano é algo entorno de 10 trilhões de dólares, sendo que apenas 1% vem da agropecuária, apenas 24% vem da indústria. Portanto 75% do PIB americano vem de serviços e grande parte disto são especulações financeiras. Para quem entende de economia, e ao que parece o secretário do Tesouro americano, Paul O'Neil não entende ou não enxerga, basta ver que o USA como um todo se comporta como uma imensa companhia "ponto - com" e os dólares propriamente dito são suas ações.

Al-Jazeera - O senhor pode explicar mais?
Al-Asuquf - O valor das ações de uma companhia é diretamente proporcional a rentabilidade desta empresa. Quando a empresa é apenas prestadora de serviço e não produz bens, o valor de suas ações depende de sua credibilidade. O que quero dizer é que se a credibilidade dos USA for abalada, suas ações (o dólar), irão cair numa velocidade impressionante e toda a economia americana entrará em colapso.

Al-Jazeera - Como o senhor tem certeza disto?
Al-Asuquf - Em escala menor, é exatamente o que os grandes grupos financeiros fazem com países do Terceiro Mundo para conseguir rentabilidades, em um mês, iguais a que nenhum banco suíço poderia dar em quatro ou cinco anos.

Al-Jazeera - Como, portanto, a Al Qaeda conseguiria abalar a economia americana a esse ponto?Al-Asuquf - Provocando um déficit de 50 a 70 trilhões de dólares, o equivalente ao PIB de cinco a sete anos dos USA.

Al-Jazeera - Como isto seria feito?
Al-Asuquf - Com a destruição das sete maiores cidades americanas e mais algumas medidas.

Al-Jazeera - Isto seria feito através de que método?
Al-Asuquf - Usando bombas atômicas.

Al-Jazeera - Com toda a segurança nos USA como, hipoteticamente, estas bombas seriam lançadas em solo americano?
Al-Asuquf - Elas não serão lançadas, elas já estão lá.

Al-Jazeera - O que o senhor está dizendo?
Al-Asuquf - Já existem sete ogivas nucleares em solo americano que foram colocadas antes do 11 de setembro e estão prontas para serem detonadas.

Al-Jazeera - Como elas entraram nos USA?
Al-Asuquf - Antes do 11 de setembro a segurança americana era um fiasco, e mesmo depois, se fosse necessário, também conseguiríamos colocar as bombas nos USA. Elas entraram através dos portos marítimos, como cargas normais.

Al-Jazeera - Como isto é possível?
Al-Asuquf - Uma ogiva nuclear não é maior que uma geladeira, portanto, pode ser facilmente camuflada como uma. Em um porto marítimo chegam milhares de contêineres por dia, por mais eficiente que seja a segurança é impossível checar, vasculhar e examinar cada contêiner.

Al-Jazeera - De onde vieram estas bombas atômicas?
Al-Asuquf - Foram compradas no mercado negro.

Al-Jazeera - De quem?
Al-Asuquf - Da antiga URSS compramos cinco e do Paquistão mais duas.

Al-Jazeera - Como é possível comprar uma bomba atômica, não existe segurança?
Al-Asuquf - Antes de 1989 era praticamente impossível, porém após a queda do muro de Berlim, o exército russo entrou em um processo de autofagia e alguns generais de alto escalão começaram a perder seus privilégios, portanto, ficaram altamente susceptíveis às corrupções. O próprio General Lebed, já falecido, e o chefe da comissão de inspetores de armas da ONU, Hans Blix já sabiam disto, apesar do ministro da Defesa russo, Serguey Ivanov negar.

Al-Jazeera - Quanto custa uma bomba nuclear?
Al-Asuquf - Algo em torno de 200 milhões de dólares.

Al-Jazeera - Como a AL Qaeda conseguiu este dinheiro?
Al-Asuquf - Temos vários patrocinadores.

Al-Jazeera - Quem são eles?
Al-Asuquf - Existem vários países que nos patrocinam e mais algumas pessoas muito ricas.

Al-Jazeera - São todos países árabes?
Al-Asuquf - Não, existem, inclusive, países da Europa que também têm interesse na queda dos USA.

Al-Jazeera - Quem são estas pessoas ricas?
Al-Asuquf - Pessoas que também se cansaram de ver os USA sugando o resto do mundo.

Al-Jazeera - Saddam Hussein é uma delas?
Al-Asuquf - Poderia se dizer que é apenas um dos colaboradores, na pessoa de Abdul Tawab Mullah Hawaish, seu vice-primeiro-ministro e responsável pelos programas de armas do Iraque.

Al-Jazeera - Estas bombas atômicas são de que potência?
Al-Asuquf - As cinco ogivas russas são dos antigos mísseis T-3, também conhecidos como, RD-107 e sua potência é algo em torno de 100 kilotons cada uma, isto é, cinco vezes a bomba de Hiroxima. As paquistanesas são menos potentes, algo em torno de 10 kilotons.

Al-Jazeera - As bombas não podem ser detectadas e desarmadas pelas autoridades americanas?Al-Asuquf - Não, apesar de antigas elas sofreram modernizações e estão muito bem escondidas. Mesmo que fossem localizadas, elas possuem dispositivos de auto-detonação se alguma coisa se aproximar. Mesmo pulsos eletromagnéticos não são capazes de desativá-las.

Al-Jazeera - Elas não emitem radiação? Não podem ser detectadas?
Al-Asuquf - Não. Elas estão envoltas em grossas paredes de chumbo.

Al-Jazeera - Um navio paquistanês, suspeito, há pouco tempo foi vistoriado e só encontraram barras de chumbo. Isto tem alguma coisa a ver com as bombas?
Al-Asuquf - Sim, porém aquele chumbo seria apenas uma cobertura extra, não necessariamente fundamental.

Al-Jazeera - Como estas bombas seriam detonadas?
Al-Asuquf - Existem vários métodos, ligação por celular, radio freqüência, abalos sísmicos ou pelo seu relógio regressivo.

Al-Jazeera - Uma vez detonadas, estas bombas causariam a morte de quantas pessoas?
Al-Asuquf - Depende, pois o plano é muito maleável.

Al-Jazeera - Qual é, portanto, todo o plano?
Al-Asuquf - A principio seria detonada uma ogiva, o que iria provocar a morte de 800 mil a 1 milhão de pessoas e provocaria um caos de proporções nunca antes vistas. Durante este caos, mais dois ou três aviões agrícolas que se encontram desmontados em celeiros perto de estradas sem movimento do interior dos USA levantariam vôo para pulverizar mais dois ou três grandes cidades americanas com varíola, em missões suicidas. Isto significa que uma vez identificada a varíola, todos os portos aéreos e marítimos seriam fechados para quarentena. As fronteiras terrestres também se fechariam. Nenhum avião, barco ou veículo terrestre sairia ou entraria nos USA. Isto seria o caos total. O secretário de imprensa da Casa branca, Ari Fleischer terá muito trabalho para fazer.

Al-Jazeera - Mas o governo americano garantiu que em cinco dias poderia produzir vacina contra a varíola para toda a população.
Al-Asuquf - Ataques suicidas paralelos serão feitos contra as fábricas das vacinas.

Al-Jazeera - Qual seria a primeira cidade?
Al-Asuquf - A primeira cidade será a que melhores condições apresentar, por exemplo, céu claro, ventos de oito ou mais milhas/hora em direção ao centro do país, para que a poeira radioativa possa contaminar a maior área possível.

Al-Jazeera - Esse ataque aniquilaria a USA?
Al-Asuquf - Não. Mas o processo estaria iniciado. Quem iria comprar algum alimento dos USA sabendo que poderia estar contaminado por radiação? Quem iria viajar para os USA sabendo da possibilidade de contrair varíola? Quem continuaria a investir dinheiro em instituições americanas? Como no World Trade Center, seria apenas uma questão de tempo para toda a estrutura econômica ruir e virar pó. Se os objetivos forem alcançados com uma bomba e a varíola, provavelmente iremos poupar a vidas de outras pessoas, porém é arriscado e provavelmente mais seis bombas atômicas serão detonadas, uma por semana, e mais ataques com armas químicas serão efetuados.

Al-Jazeera - Quantas pessoas inocentes morrerão?
Al-Asuquf - Segundo estimativas feitas por mim e Ayman Al-Zawahiri, algo em torno de 15 milhões, devido as bombas atômicas e sua radiação. Das contaminadas por varíola, 25% morrerão, algo em torno de mais cinco milhões e muito outras devido ao caos e a desordem instalada.

Al-Jazeera - Mas a resposta militar americana?
Al-Asuquf - Praticamente não haverá. Mesmo que cinco ou dez cidades sejam escolhidas de maneira aleatória para serem destruídas, ainda será um preço pequeno para pagar. O problema é que o desespero econômico será tão grande que até poupar de gastar armas desnecessariamente ocorrerá, pois a liquidez de bens americanos ficará quase a zero e nesta altura os USA ganharão mais vendendo um porta-aviões da classe Nimitz que custa perto de 5 bilhões de dólares, para a Turquia ou Itália, por 1 bilhão de dólares, pois precisarão se recapitalizar de maneira urgente, porém será tarde de mais. Além do mais, qual será a moral de um soldado americano de lutar sabendo que toda a sua família morreu e seu país deixou de existir. Lutar pelo quê?

Al-Jazeera - A economia mundial, também, não ruirá?
Al-Asuquf - No inicio será muito difícil, uma grave crise econômica se instalará. Porém sem os USA o mundo logo se erguera de maneira mais justa e fraterna.

Al-Jazeera - E Israel?
Al-Asuquf - Como vocês dizem... Será a sobremesa.

Al-Jazeera - O porta-voz de Bin Laden, Sulaiman Abu Gheith, sabe que o senhor deu esta entrevista?
Al-Asuquf - Foi ele e bin Laden que me sugeriram que desse a entrevista.

Al-Jazeera - Osama Bin Laden está vivo?
Al-Asuquf - Vivo e com muita saúde, ao lado de seus comandantes, Mohammed Atef e Khalid Shaik Mohammed e o Mula Omar.

Al-Jazeera - E o senhor não receia que venham a descobrir os planos da Al Qaeda?
Al-Asuquf - O plano já está em sua contagem regressiva, nada mais poderá pará-lo.

Al-Jazeera - Nem mesmo um pedido de desculpas e novas atitudes por parte dos USA?
Al-Asuquf - Isso não aconteceria e mesmo assim é tarde demais.

Al-Jazeera - Quando será iniciado o ataque?
Al-Asuquf - Não posso revelar. Allah Akbar (Deus é Grande).

Bem, o texto pode ser mesmo de autoria da Al Qaeda, podia ser parte do plano usado pelos USA para justificar a continuação da guerra contra o terror ou simplesmente produto de uma fértil mente ociosa. Mas por que a divulgação se iniciou no Brasil? Por que depois de alguns anos esquecido o texto voltou à tona? Logo quando ações terroristas põem a Índia em tensão com o Paquistão. Quando uma crise econômica de níveis incalculáveis atinge sobretudo os EUA, deixando-o mais vulnerável. Será o início dos ataques? Faço das palavras de Al-Fuqusa, quer dizer, Al-Asuquf as minhas: Não posso revelar. Allah Akbar. xD

domingo, 16 de novembro de 2008

Slam

Que Nick Hornby é um excelente escritor todo mundo sabe (ou pelo menos deveria saber). Que seus livros são perfeitos para serem adaptados para a telona nínguem duvida. Mas que ele seria capaz de entrar em um universo desconhecido para ele até então... Em Slam (cujo significado remete ao tombo do skatista) ele mostra o quão jovem pode ser a mente de um escritor que já passou dos 50 e escreve com facilidade o que escreveria um cara de 18 anos.

O trabalho mais conhecido de Nick é o livro Alta Fidelidade, imortalizado no cinema com a brilhante atuação de John Cusack como Rob Gordon, um dos donos do Championship Vynil, uma loja de discos onde os donos ironizam o mau gosto dos clientes e valorizam a boa música (deu origem ao nome do excelente blog Champ Vinyl). Assim como em Alta Fidelidade, em Slam o autor faz inúmeras referências culturais: Sam, personagem principal é fanático pelo skatismo e faz confissões e pede conselhos a um pôster do Tony Hawk (as respostas do poster se baseiam na autobiografia do skatista: Hawk - Profissão: skatista, lida compulsivamente por Sam); o comportamento do protagonista e a escrita em fluxo de idéias remetem a uma versão mais moderna do livro O Apanhador no Campo de Centeio; são citados artistas e celebridades da atualidade a todo instante, de Jennifer Aniston a J. K. Rowling e David Beckham; Big Mac, iPod e X-box? Estão todos lá.

O melhor do livro é que Hornby não deixa de escrever como Hornby, e mostra de maneira incrível como um garoto esperto é forçado a se tornar adulto da noite pro dia. Escrito em primeira pessoa, a história é narrada por Sam, um jovem de 18 anos que mostra o quanto sua vida mudou nos dois últimos anos, quando ele arranja outro amor além do basquete, Alicia. Aí começa o drama: logo de início Alicia suspeita estar grávida de Sam, deixando-o desesperado, pois ele começava a acreditar que quebraria a maldição da família de engravidar cedo e não ir à faculdade.

Um fator surpresa foi o uso de flashforwards, por algumas vezes o protagonista acordava alguns meses no futuro e via uma prévia do que ocorreria com ele. Focando-se nos erros do antigo futuro, quando Sam chega no dia já visitado tenta desesperadamente corrigir as falhas que cometeria, no entanto tudo ocorre em vão, e ele percebe que os erros cometidos não podem ser apagados, mas errados de maneiras diferentes.

Outro tema bastante abordado é a diferença social entra as famílias de Sam e Alicia, os pais dele são separados e seu pai é encanador (também não se dá bem com o filho), os dela são professores universitários (profissão bem valorizada na Inglaterra) e são defensores árduos do bom e velho costume. E é nesse clima de diferenças, surpresas, intrigas e descontração que Nick Hornby conquista mais fãs e nos deixa mais um roteiro para um belo filme.


sábado, 25 de outubro de 2008

Chuta que É Macumba

Clara tinha acabado de chegar em São Paulo para um congresso, sua tia foi buscá-la no aeroporto e enquanto colocavam a conversa em dia foram para casa tomar o café da manhã. Café e banho tomados Clara foi falar com a tia:

- Não quero ir pro congresso hoje, as aberturas são sempre chatas. Você pode me levar pra conhecer um lugar interessante?

- Lugar interessante? Claaaro, vamos lá.

No caminho Clara tentava imaginar para onde estavam indo: Shopping Eldorado? 25 de Março? Um tour pela Avenida Paulista? Mas preferia não perguntar, qualquer um desses seria uma boa opção, era melhor guardar a surpresa. Já faziam 35 minutos que haviam saído de casa, e nada, não que as coisas sejam perto em São Paulo e o trânsito fácil, mas a casa de sua tia era bem localizada e o trânsito estava incrivelmente livre naquele dia, o estranho é que elas entravam em bairros cada vez mais parecidos com cidades do interior com ruas estreitas e lojas desertas e ultrapassadas, aquela paisagem parecia estar longe da de um local interessante.


20 minutos depois o carro estacionou em frente a uma casa velha e mais baixa que a calçada, a aparência era assustadora:

- Chegamos, esta é a casa de Dona Abghail, você vai adorar conhecê-la.


Entre o muro e a casa havia um estreito jardim saturado de todos os tipos de ervas e plantas desconhecidas. Na sala havia uma velha baixa e gorda, morena, com a pele semelhante à bochecha de um bulldog e usando um Ray-Ban. Estava atrás de uma enorme mesa. Em cima da mesa haviam mais de 50 santos diferentes e um crucifixo gigante, pela porta do fundo era possível ver um terreiro com não menos que 30 galinhas pretas. Clara só se perguntava quem diabos era essa Dona Abghail, uma mãe de santo? rezadeira? macumbeira? curandeira? mutante sobrenatural? Mais tarde descobriu que ela agia como se fosse tudo isso e algo mais. O silêncio foi interrompido por uma voz gélida, áspera e metálica:



- Sabia que vocês viriam hoje pela manhã. (Claro)

- Você é um anjo! - (Mais uma atribuição) - Eu trouxe minha sobrinha para lhe conhecer, a Clara.

- Nem precisa dizer seu nome completo e endereço, já está no caderno dos familiares de primeiro, segundo e terceiro graus da sua tia. Anote aí numa dessas folhas que estão em cima da mesa o nome de seu protetor e dos anjos da guarda de frente, de trás, do lado esquerdo e do direito e sua cor espiritual - Ela falou todos os nomes, pegou uma bengala para cegos (Ela ser cega dá todo um charme para os poderes sobrenaturais) e pareceu fazer preces em torno de Clara, depois, voltou para sua poltrona vermelha - Anote agora as folhas dos banhos, você deve usá-las no lugar do sabonete, mas pode usar shampoo (Que alívio), lembre-se de nunca usar a toalha, a água deve evaporar naturalmente (Isso no frio de São Paulo deve ser ótimo). Ah, e se quiserem podem "pegar" as folhas aqui no quintal, são difíceis de ser encontradas por aí (Não diga).


Antes de sair, a tia entregou uma feira de supermercado que fez para D. Abghail, pagou R$50 por uns pacotes de folhas e deixou mais de R$100 pela "consulta" e pelas orações que D. Abghail faz por ela quando ela precisa.

Mal haviam saído e a tia ligou pra sua Guru:

- Esqueci de lhe perguntar, por qual caminho devo voltar? Ah, tem razão, pela autopista deve ser mais rápido e seguro mesmo, obrigada, tchau.

- Tia você intercede a ela por tudo? Não vi nada demais naquela mulher, a não ser a esperteza.

- Não fale assim de Dona Abghail, ela é violenta, você não conhece as rezas dela. Seu avião só não caiu porque pedi a ela que o guiasse (Primeiro Mandamento, não fales o nome de D. Abghail em vão). E só não batemos o carro ainda porque dirijo com anéis e aliança na mão oposta pra evitar acidentes, além de ter usado um vestido com lilás, verde e laranja no réveillon, como ela mandou. Ela agora está tentando fazer com que minha vizinha se mude. Lembra dela? Parecia ser minha amiga, mas é bruxa, vivo caindo em casa, só pode ser praga dela (Danou-se). Vive de cara feia pra mim.

- Você continua lavando o muro de madrugada?

- Sim.

- Então entendo a raiva dela.

Depois desse dia Clara não perdeu um dia de congresso, dormiu 2 deles ilegalmente no quarto de suas amigas num hotel e dizia onde queria ir a sua tia antes de saírem. E por via das dúvidas, era melhor não ficar falando de Dona Abghail.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Como criar sua Mafia em 6 passos

Ser chamado de Don ? Ter orgulho de ser um mafioso (cujo significado remete a um homem empreendedor e audacioso)? Possuir muito dinheiro e poder, fazendo parte de uma grande tradição? Sim, isso é possível, basta seguir os seguintes passos e ter uma carreira gloriosa no submundo dos mafiosos.

Significado da palavra Mafia segundo O Apanhador: Organização hierárquica que tem como objetivo principal o lucro. Nem sempre associada a uma atividade criminosa, toda Mafia apresenta regras que se baseiam em valores morais, honra e lealdade.


Passos Para Criar Sua Mafia

1- Nome: Toda Mafia que se preze tem um grande nome . As mais antigas usam o nome do lugar de origem ou da família fundadora, sendo a Siciliana a maior da Itália.

2- Atividades: Como você pretende ganhar dinheiro através de sua Mafia? Elas atuam em praticamente todas as atividades comerciais, desde extorsões, jogos ilegais e corrupção política a propietários de times de futebol, exploração de minérios e outras atividades legais. Que tal venda de trabalhos escolares e universitários e taxa para colocar o nome daquele colega preguiçoso no seu grupo e manter sigilo sobre quem você vê colando durante as provas?

3- Hierarquia: A tradicional é a seguinte: O Don é o chefe, o qual conta com um sub-chefe. Ao sub-chefe estão submetidos vários capos, e aos capos, os soldados. Existem também os associados - pessoas que cumprem certos trabalhos para a Mafia sem fazer parte dela, como advogados e políticos - e um consigliere, cuja função é dar conselhos e tomar decisões imparciais em situações polêmicas. Esse é eleito por todos os membros da Mafia, mas, Mafia é Mafia, sendo esse às vezes escolhido pelo Don para que não tome decisões tão imparciais.

4- Quadro de funcionários: Procure pessoas de confiança e monte sua equipe. Tenha cuidado para não preencher o quadro baseado somente na amizade e evite colocar quem você sabe que pode tentar tomar o comando do seu grupo. Pessoas que falam demais? Nem pensar!

5- Omertà, a lei do silencio: O que acontece na Mafia lá fica. É estritamente proibido abrir o bico e falar o que se passa na organização para pessoas de fora, e, principalmente, à polícia. A pena aplicada é no mínimo a expulsão.

6- Mandamentos: O código de conduta da Cosa Nostra (sinônimo de Mafia que só pode ser utilizado por mafiosos, ou ainda nome que representa o estilo de vida dos mafiosos), traz as principais regras dos seus mafiosos. Pegue como exemplo os 10 Mandamentos da Mafia Siciliana e adapte à sua Mafia:


1. Ninguém pode se apresentar diretamente a um de nossos amigos. Isso deve ser feito por um terceiro.
2. Nunca olhe para as esposas de seus amigos.
3. Nunca seja visto com policiais.
4. Não vá a bares e boates.
5. Estar sempre à disposição da Cosa Nostra é um dever - mesmo quando sua mulher estiver prestes a dar à luz.
6. Compromissos devem sempre ser honrados.
7. As esposas devem ser tratadas com respeito.
8. Quando lhe for solicitada uma informação, a resposta deve ser a verdade.
9. Não se pode apropriar de dinheiro pertencente a outras famílias ou outros mafiosos.
10. Pessoas que não podem fazer parte da Cosa Nostra: qualquer um que tenha um parente próximo na polícia; qualquer um que tenha um parente infiel na família; qualquer um que se comporte mal ou que não tenha valores morais.


P.S. Inteligentes espiões da ABIN, este Blog não tem caráter político nem nenhum outro aspecto criminoso, por favor não grampeem meu celular.

Caros Leitores, toda a parte que envolve atividades criminosas é meramente ilustrativa, recomendamos que não as siga. Mas se quiserem, quem sou eu para impedir?
xD


P.P.S Ganhamos mais um Prêmio Dardos, dessa vez do Blog Papéis Riscados, o qual aborda desde assuntos atuais a histórias pessoais dos autores, vale a pena conferir! Vlw kah!


Cumprindo ordens: Indico 3 Blogs que realmente merecem esse prêmio:

Coluna do Lorida

Mundos Mudos

Vida Mágica

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

3 Contra o de Bigode


Era um belo dia de sol... mentira! Era uma tarde transformada em noite, relâmpagos trovejam incessantemente e os raios eram tão frequentes quanto os grãos de areia que haviam nas praias daquele lugar. Uma tempestade intensa permaneceria ali até o fim da madrugada, no pequeno vilarejo costeiro de Labrador. Quatro chefes de estado estavam reunidos numa sala de reunião na melhor casa do lugar (uma mansão de 1.400m² construídos, com cerca de 10 suítes dignas de recebê-los) e discutiam como Homers e Barts:

-Não retirarei as minhas tropas! - dizia enfurecido um sujeito de bigode estranho.

-Acha mesmo que eu esperava alguma atitude digna de alguém que se aproveita de seus aliados e depois se volta contra eles? Devia ter pensado melhor antes de partir rumo a Moscou.

-Calma vocês dois, dessa maneira não sairemos do lugar. Proponho um cessar fogo por algum tempo.

Aí foi a vez do quarto homem falar:

-Sem chance! Se esse sujeito acha que pode contra todos nós está muito enganado, é hora de nos unirmos e tirá-lo de cena de uma vez por todas. Eu não tinha tanto interesse na Europa, mas se é para o bem geral das nações eu deixo de ser um mero espectador e facilitador e saio da América para participar da Guerra contra o Mal.

-Não sejam ridículos, vocês nunca serão superiores a mim. Contentem-se com o que lhes resta e deixem eu me apropiar do que me pertence. E você, americano maldito, não interfira no meu continente para que eu não vá até aí.

O russo não se conteve:

-Está muito enganado, posso ter perdido bastante território, mas meu exército é grande o suficiente para tomá-lo de suas unidades restantes. Por isso proponho uma aliança com a América e a França para derrotá-lo.

-Ok, esqueçamos minha idéia de cessar fogo, te ajudo contra ele até vir reforço do outro continente. - disse o francês - E como é minha vez: 3 contra 1 na Alemanha... Você tirou 1... Au revoir!

E assim caminha para o fim mais uma emocionante partida de War entre quatro velhos amigos, a terceira do dia e 18ª daquele verão.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Balder Walker - 1 - Protótipo

Não gosto de sair falando sobre a minha vida para ninguem, mas vem acontecendo tantas bizarrices comigo que eu tenho a obrigação de dividí-las com você. E nada de se aproveitar e ja vir esmiuçando essa vida inútil que levo, conto o que quero, ouça se quiser e contente-se com o que foi dito. Não sei até quando vou escrever esse troço, mas garanto que enquanto escrever vou fazer da melhor maneira.

Me chamo Balder Walker e para fazer jus a esse maldito sobrenome, adoro sair por aí sem rumo. Do que eu mais gosto? Além de escrever, viajar, adoro conhecer novos lugares. Quer me deixar muito feliz, o cara mais feliz do mundo? Me convide para viajar. E é o que mais vou fazer daqui para frente, recebi uma boa grana - dinheiro para ter uma vida de magnata por mais 100 anos, tempo que estimo ter ainda - e vou aproveitá-la da melhor maneira, viajando muito. Depois de dar uma volta ao mundo decidirei onde montar minha base, não que eu vá passar o resto da minha longa vida no mesmo lugar, não disse em momento algum que tenho raízes, mas vou querer passar algum tempo em um lugar fixo, onde possa ser encontrado às vezes. Voltemos à viagem, que é mais interessante, assim que recebi a grana fui depositar tudo num banco, chequei se meu passaporte ainda tinha validade, tinha, e arrumei minha mala, roupas para frio e calor, documentos, uma escova de dentes com um ano de uso, perfumes, um ipod abarrotado, laptop (de onde acha que vou escrever?) e é claro, um cortador de unhas.

Deixei pago alguns meses de aluguel, só para manter meus poucos bens num local seguro, quando terminar a viagem mando alguém vir buscar as coisas. Desci do apartamento e entrei no yellow cab que me esperava, espero demorar muito para ver um desses novamente ou qualquer coisa que me faça lembrar dessa cidade, Nova Iorque não é um lugar para se morar, e incrivelmente estou me libertando daqui, agora entendo porque esse foi o local escolhido para abrigar a estátua da liberdade, inclusive tenho a impressão de que até ela deseja ir embora.

O taxista, um senhor bem humorado, me perguntou para onde iriamos, após colocar minha mala no fundo do carro. Com cara de pouca conversa lhe disse: Aeroporto John F Kennedy, por favor.

-Vai viajar?

Pronto, o cara me viu com uma mala, peço a ele para me levar ao aeroporto e ele me faz uma pergunta dessas, no duro, juntei as poucas forças que ainda tinha depois dos últimos acontecimentos, respirei fundo e respondi:

-Vou, ando cansado dessa cidade e de toda a gente que vive aqui. Quero ficar longe por um bom tempo.

Depois disso sua única frase, já no aeroporto, foi:

- São 76 dólares e 30 centavos. Tem 30 centavos para facilitar o troco?



Fui ao balcão da Virgin Atlantic e perguntei à balconista, já sabendo a resposta:
- Para onde vai o vôo internacional mais próximo excluindo qualquer destino na América?
- Para Londres, senhor.
- Quando sai o próximo?
- Só terei vaga disponível para o vôo 010, que parte exatamente daqui a duas horas, às 21h35min com chegada no Aeroporto Heathrow, Londres, às 09h30min do dia seguinte, horário local.
- Quero uma passagem na primeira classe (mereço o luxo) no nome de Balder Walker. Quanto custa?
- Us$ 5.564,00.

Despachei a bagagem, peguei a passagem e fui comprar alguns livros, eles são úteis em qualquer viagem, mesmo nas mais divertidas haverá um momento no qual você não terá o que fazer, como num trajeto de sete horas. Sentei para tomar um capuccino enquanto a hora do embarque não chegava e tirei um dos livros da sacola, O Apanhador no Campo de Centeio, fazia tempo que queria lê-lo.

P.S. Sobre o dinheiro tenha paciência que um dia contarei qual foi sua fonte, sobre minha idade por enquanto só adiantarei que sou bem jovem e sobre minha família... bem... eles estão vivos e aparecerão na hora certa (o dinheiro não veio de herança).



Continua...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Mau Mau

Era aniversário da Kássia, toda a turma reunida numa pizzaria. Não demoramos lá e tudo correu bem, exceto pelo garçom quase se recusar a colocar uma fatia de pizza no prato do Filipe, que tinha despejado a lata de azeite quase toda no prato. E pela célebre frase do Márcio em aniversários em pizzarias: "Nem sei por que eu vim!", isso sempre ocorre com muita naturalidade e na frente dos aniversariantes.

Saímos da pizzaria e fomos à casa da aniversariante cantar os parabéns e comer o bolo. Chegando lá cumprimos nossa obrigação e, enquanto conversávamos um pouco, assistimos ao final de Todo Mundo em Pânico 4, o qual não recomendo a ninguém, e logo todos começaram a colher opiniões de coisas interessantes para se fazer, numa tentativa de superar o trauma causado pelo filme. Sugeri jogarmos mau mau, uma boa boa idéia.

Para não transformar o post num tutorial do jogo indico aos interessados procurar as regras no Google.

Só eu e a
Karina sabíamos jogar, então explicamos as regras para o restante da turma: Thiago, Filipe, Beto, Márcio e Leidiane. Foi nessa que a coisa emperrou, a menina não sabia nem diferenciar os naipes do baralho, mas, tudo bem, sou brasileiro e não desisto nunca.

Iniciamos a partida e logo começou o melhor do jogo, as armadilhas com o Rei. No Mau Mau, quando algum ser muito mau coloca um Rei na mesa, todos devem ficar mudos até a próxima rodada, e a Leidiane custava a entender isso (foi aí que desconfiei não ser brasileiro).

A cada malvadeza de alguém ela começava a questionar o porquê do silêncio, aí entregávamos uma carta por palavra dita por ela, gerando mais e mais reclamações. Mesmo com dois baralhos o monte estava prestes a ter saldo negativo, ela ia quebrar a banca.

Um maldito havia colocado um Rei na mesa e logo em seguida meu celular começa a tocar, como me ligam justo agora? Todos me olhavam com olhos que eram só felicidade, olhei para o lado: a Karina estava pronta para impedir minha fuga; juntei forças e de repente dei um salto para fora do sofá, achei ter escapado, mas aí percebi que minha perna ainda estava no sofá, segurada pela Karina. Corri ignorando o fato (depois desse acidente nunca mais corri como antes) e me refugiei na despensa para atender o celular.

Após uma rápida e silenciosa conversa, voltei às pressas para a sala (sem sentir uma perna) pronto para convocar o conselho e clamar por piedade, mas antes que os olhares furiosos me queimassem vivo, o Thiago disse que o Rei tinha sido colocado por mim, na rodada passada, ou seja, ninguém precisava ficar mudo ¬¬.

Continuamos em plena harmonia a nossa partida (a Leidiane quase arrancou a mão da Karina para não receber cartas extras, não aprendeu mesmo a ficar muda, e, pouco depois começou a chorar, continuava sem entender a regra fundamental, não chorar) e após três horas de jogo estávamos ainda muito longe do fim...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Meme - Royale With Cheese

Recebi da Karina o Meme: Quando Fala a Sétima Arte, no qual devo citar uma grande frase de um grande filme dita por um grande personagem.

Escolhi um dos meus preferidos, Pulp Fiction, mais conhecido pelo subtítulo Tempo de Violência, no Brasil (mais um crime cometido pelo maldito departamento comercial das distribuidoras de filmes). Essa obra-prima do Quentin Tarantino faz sucesso desde o seu lançamento, em 94, quando de cara já faturou o Oscar de melhor roteiro original, o Globo de Ouro por melhor roteiro e a Palma de Ouro no Festival de Cannes, dentre outros prêmios não tão significantes.

Contando com um time de primeira: que incluia John Travolta, Uma Thurman, Samuel L. Jackson e Bruce Willis; Tarantino abusa de sua criatividade e faz algo totalmente inovador, conta a história através de três segmentos que se interligam sem dar a mínima para a cronologia (influenciando filmes como Amnésia e Sin City), deixando para o espectador a dúvida de quem é o personagem principal, fato que muda em cada nova parte.

O tão premiado roteiro mostra que um gangster perigoso também conversa sobre assuntos banais, como cultura, religião, relacionamentos amorosos, massagens nos pés e gastronomia, quem não se lembra da célebre parte na qual Vicent Vega (Travolta) conta a Jules (Jackson) que o Quarteirão com Queijo (Mc Donald`s) se chama Royale com Queijo na França?

O filme faz ainda referências a outros grandes títulos; no restaurante Jack Rabbit Slim’s os garçons se vestem desde Zorro a Marilyn Monroe e James Dean, aliás, é nesse lugar que acontece a inesquecível dança entre Vega e Mia (Thurman) popularizando aquela coreografia única - ressalto aqui para quem não assistiu, que Mia é a esposa do chefe de Vega, o qual pede ao capanga que a leve para se divertir enquanto estivesse viajando - e outra referência clássica é a cena no táxi de Villalobos (Angela Jones) uma cópia de Taxi Driver.

Pensa que acabou? Teorias conspiratórias estão presentes em todo o filme, aqui vão algumas curiosidades:

- Ezequiel 25:17: O famoso trecho bíblico recitado por Jules antes de assassinar uns caloteiros nunca existiu, exceto uma única frase presente no texto.
- O código para abrir a maleta com o conteúdo secreto é 666.
- Os relógios da loja dos "torturadores" marcavam 04:20, considerada a hora de fumar maconha.
- A filmagem registrou tudo numa sequência cronológica e só depois de filmado foi tudo bagunçado.
- Quando Butch (Willis) volta para buscar seu relógio de ouro, pára próximo a uma casa para escutar melhor um anúncio que passa na televisão: do restaurante que Vega foi com Mia, o Jack Rabbit Slim’s.
-Pulp: O nome que originou o filme significa polpa, no caso a de madeira, usada antigamente para produzir o papel jornal, de baixa qualidade, utilizado em revistas destinadas à grande massa da população, nas quais reinavam histórias sensacionalistas que buscavam prender os leitores do início ao fim. Tais histórias passaram a ser conhecidas como pulps.


Chegou o momento de cumprir as obrigações e citar a tal frase, mas como detesto regras vou citar duas:
"...É quando você sabe que encontrou alguém especial. Quando você pode simplesmente calar a boca por um minuto e aproveitar o silencio confortavelmente."
Mia para Vicent Vega

"Sabe como chamam um Quarteirão com Queijo em Paris? Royale com Queijo."
Vega para Jules


E cumprindo mais uma ordem, repasso esse Meme para 5 blogs:

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Esse é um "Blog Massa"

O Apanhador no Campo de Centeio recebeu do Blog da grande advogada Ana Lúcia Nicolau o selo "Blog Massa", segundo ela, dado a blogs originais e inteligentes, - então será que merecemos? - agradeço desde já pela indicação e cumprindo o regulamento eu o repasso a outros três grandes Blogs:

Esfiha Berta

I Said Goddamn

Drops da Deisinha

P.S. E não pára por aí, o Blog Drops da Deisinha também indicou O Apanhador para outro selo, o Prêmio Dardos, o qual tem como objetivo reconhecer os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e palavras. Muito obrigado Deisinha. Também devo indicar três Blogs que mereçam esse selo, e aqui estão:

Blog do Tyler
Esfiha Berta
Champ-Vinyl

P.S.2: Agradeço a você também, leitor(a), pela constante presença nesse Blog. Em breve, novidades...

domingo, 27 de julho de 2008

Mickey Polaco, Férias e Vídeos Viciantes

Sexta de madrugada, chegando ao meio das férias, sem nada pra fazer, chega outro desocupado e me manda o link de uma música e manda prestar atenção na letra, sem explicar mais nada. Lá vou eu abrir a página (me arrependo até hoje) e me deparo com o Mickey no canto esquerdo superior da tela cantando um troço inexplicável. Fui buscar respostas e me mandaram pra comunidade do orkut: Mickey Polaco (isso mesmo, ele tem até comunidade própria).

Na comunidade reinam as teorias sobre o misterioso Mickey Polaco e versões adaptadas de suas letras, falsas traduções que simplesmente jogam as palavras em português de acordo com o som que é escutado, além da tradução original, do russo. Original e piratas não fazem o mínimo sentido, mas é inacreditável como viciam, como se não bastasse ficar assistindo o Mickey cantar, você se encontra obrigado a acompanhar o jingle com a letra sob seus olhos.

Outra curiosidade da página do Mickey Polaco é que você pode aumentar ou diminuir a imagem e movê-la pela página. E reza a lenda de que coisas horríveis acontecerão com quem conseguir centralizar essa imagem no meio da página, fato até hoje nunca comprovado por ninguém.


Site do Mickey Polaco

Aqui está uma letra adaptada da versão 1.2:

Whisky dosa, dosa, dosa
Whisky da pra quadradinha
Isto dou pra dar a hóstia
Sopa tinha que ser de jarra

Dô um machado pro oculista
Tô na merda, merda, merda
Tô as mosca, mosca, mostra
Mostra mas volta pro principio.

Ahhh, vós vai querer que a outra coxa seja minha
Ahhh, vós frite a gorda com a cor do guaxinim
Ahhh cadê os digimobil?
Ahhh que diabo é digimobil?
Ahhh aquele homem em papo, cai...

Ahhh aquele homem em papo, cai...

Isto é católica, católica
Isto vai com a madre da hóstia
Isto trás com a magra Silvia
Freguês que acabou né burro?

Pronto se acabou o ar fresco
Traz o vídeo, vídeo, vídeo
Niza, puta, puto, puto
Puto traste, vou ai!

Ahhh, traz que vou querer que a outra coxa seja minha
Ahhh, traz e frite a gorda, com a gorda do guaxinim
Ahhh cadê o digimobil?
Ahhh mas que diabo é digimobil?
Ahhh aquele homem em papo, cai...

Ahhh aquele homem em papo, cai...

Não conheço, não conheço não...
Isto põe sapólio ali, uii...
Isto tem que por pro grile
Sim, vamos mergulhar, ai!

Isto não devia dar ordem
Faça agora, agora, agora, hein!
Agora querer, quero aqui!
Rude? Quem foi que disse? Fim.

Ahhh, sempre querer molho na coxa que seja minha
Ahhh, sempre frite a gorda, com a cor do guaxinim
Ahhh cadê o digimobil?
Ahhh que diabo é digimobil?
Ahhh aquele homem em papo, cai...

Ahhh aquele homem em papo, cai...

Comunidade Mickey Polaco no Orkut

Quer mais? Encontrei mais 2 vídeos viciantes pelo orkut:


sábado, 12 de julho de 2008

Danilo Gentili no Campo de Centeio

Senhoras e senhores leitores deste blog, é com grande honra que recebemos neste campo de centeio: Ele, que é um dos maiores gênios da televisão brasileira; um dos principais – por que não o principal? – divulgadores e representantes da comédia stand-up no Brasil, um tipo de comedia popular nos EUA, no qual o comediante encara o publico e abusa do improviso e; tornou adorado por milhões de brasileiros o seu grande personagem, o repórter inexperiente, que de inexperiente não tem nada; eu vos apresento... Danilo Gentili!

O Apanhador - Danilo, obrigado desde já pela sua receptividade e por dar essa entrevista ao blog. Pra começar, você já leu O Apanhador no Campo deCenteio?
Danilo - Eu nunca li... mas deve ser triste a historia desse cara do livro, pois ele vive apanhando no campo de centeio...

O Apanhador - Existe algum assunto que você ache que deve ser abordado de maneira séria?
Danilo - O unico assunto que deve ser abordado de maneira séria é o mau trato que o ser humano dá aos animais e a todo ser vivo indefeso. A covardia humana parece nao ter fim. Acho que o ser humano é o unico ser vivo que pisa no menor sem ser por sobrevivencia, apenas pra conquistar o supérfluo. Acho que esse é o unico assunto que deve ser levado a serio. Todos os outros assuntos que os humanos inventaram como politica, religiao, cultura, nao passam de meras piadas... e muitas de mal gosto...

O Apanhador - Como você se comportava -ou não- na escola?
Danilo - Me comportava mal. Sem exagero nenhum, a média era que eu ia pra diretora 1 ou 2 vezes por semana. Ja fui expulso... ja cai do telhado da escola. Ele arrebentou comigo, eu cai no meio do pátio na hora do recreio e quebrei as duas pernas... Eu desenha durante as aulas o que chamava de "planitos". Eram planos pra fazer merda na escola, assim como o coiote desenha planos pra ferrar o papa-léguas eu desenhava pra ferrar a escola. Com a diferença que os meus planos davam certo... um dia vou publicar um livro só com eles..


O Apanhador - Voce já foi realmente expulso da igreja por um pastor?
Danilo - Na igreja católica fui convidado a me retirar do catecismo. Mas continuei católico. Um dia li a biblia e percebi q jamais poderia continuar sendo católico se quisesse acreditar que a Biblia é a palavra de Deus. Então busquei uma igreja que estivesse mais de acordo. Mas acho que encontrei apenas uma que estava em menos desacordo. Tambem fui convidado por um pastor a me retirar da igreja... e por irmãos a nao pregar mais... Pensei em ser padre..e em ser pastor... acabei virando humorista... pelo menos no fim das contas fiz as pessoas rirem (e não chorarem).

O Apanhador - Qual a historia da sua touca de estimação e qual foi o seu fim?
Danilo - Eu roubei a touca de um amigo meu... o nome dele é Carlos e acho que ele é o desenhista mais talentoso que ja conheci. Eu roubei a touca dele num dia de frio, quando éramos estagiarios (ou melhor, escravos) em um shopping no ABC... mas eu perdi ela no cinema com uma amiga minha... foi triste.. desculpe... não gosto de falar muito sobre o episódio... é doloroso...

O Apanhador - O CQC (Custe o Que Custar – Band, segunda-feira às 22:00h) trouxe àtelevisão brasileira um programa que une inteligência, crítica e comédia e é hoje sucesso absoluto, deixando para trás a má fama que diz que o brasileiro só valoriza o humor banal. Nós, espectadores, sentimos uma incrível harmonia entre a equipe do CQC. E para você, como é trabalhar com caras como o Marcelo Tas, o Rafael Bastos e o Cortez, Oscar Filho, Marco Luque e Felipe Andreoli? O que acha desse projeto, o CQC?
Danilo - Na verdade trabahamos separados. Cada um sai pra rua. Posso dizer que adoro todos os repórteres...Cortez, Oscar, Andreoli... são ótimos, todos ótimos... no fundo acho o trabalho dos repórteres mais dificil do que a bancada...os repórteres viajam... dão a cara a tapa... mas tudo isso seria em vão se a bancada nao fosse competente para nos apresentar... e a bancada seria em vão se o os roteiristas nao fossem ótimos pra escrever para eles aquelas tiradas... e do que adiantaria os roteiristas sem a produção... e a produçao sem a direção? O CQC é um trabalho de uma equipe competente com vontade de fazer um ótimo programa, sem duvida.

O Apanhador - De onde surgiu a idéia do repórter inexperiente?
Danilo - Ele é um quadro do formato do CQC. Lógico, natural que eu fiz ele do meu jeito... Então ele é um pouco meu também... pelo menos no Brasil.

O Apanhador - Qual foi a melhor entrevista do repórter inexperiente e por quê?
Danilo - Uma foi bem diferente da outra, não acho que tenha tido uma melhor..depende do que voce quer ver... quer ver uma mulher puta da vida? Da marcia foi melhor. Quer ver alguém que tentou me ajudar? Quer ver um padre humilde? Tem o padre marcelo...


O Apanhador - E no palco, como você vê as excelentes criticas recebidas pelo seu show Comédia ao Vivo?
Danilo - Olha... eu fico feliz que até o momento eu tenha só recebido criticas positivas pelo trabalho tanto no CQC como no stand-up... porem confesso que temo um dia acharem que sou uma farsa e começarem a meter o pau... eu sou alguém normal... não me acho nada excepcional... e quando leio algum elogio penso: "droga... eles estão sendo enganados, alguém precisa avisá-los...".

O Apanhador - Você se considera tão bom comediante quanto péssimo músico (brincadeira xD)?
Danilo - Ahuuah... Eu me considero um ótimo musico e um péssimo comediante.

O Apanhador - E sobre os seus quadrinhos, já vi alguns pela internet e são realmente bons. Não pretende publicá-los?
Danilo - Eu adoraria publicá-los, mas no momento nao tenho tempo pra me dedicar a isso....

O Apanhador - Quais são os seus proximos projetos e o que você planeja para o seu futuro?
Danilo - O Futuro a Deus pertence... Espero que ele seja bom pra mim como tem sido o presente.
Vlw Danilo!

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Cérebro x Música

Ouvir música nos torna mais inteligentes? Não sei...

A música pode curar? Também não sei...

Então pra q djabus vai escrever sobre isso?

Pouquíssima coisa foi comprovada até hoje associando a música à atividade neuronal, mas os pouco indícios existentes são animadores. Devemos partir do pressuposto de que a música ativa áreas de todo o córtex cerebral, ou seja, tem uma mega influência.

Quem nunca se emocionou, chorou ou ficou feliz da vida ao ouvir determinada música? Isso ocorre porque a música ativa o sistema límbico, área responsável pelas emoções. Aí já entra também o hipocampo, principal centro da memória, que faz por exemplo com que um sujeito chore ouvindo desde uma ópera ao créu (é difícil acreditar, mas existe todo tipo de gente) dependendo do que a melodia o faça relembrar.



Sobre a música aumentar a inteligência (se fosse simples assim, todo brasileiro seria cdf) o maior problema em confirmar é que não há uma forma exata para medir a inteligência e nem como estabelecer modificações da mesma. Mas o que se sabe é que a música aumenta o número de acertos em testes simples, e só.

A musicoterapia, que pode ser ativa (ao tocar instrumentos musicais ou cantar) ou passiva (só ouvir) já deu resultados positivos em pacientes com epilepsia e doença de Parkinson. Nesse caso, a música mais utilizada é a sonata k.448, conhecida pelos não cientistas ou simplesmente não conhecida, como a Sonata Para Dois Pianos em Ré Maior, de um músico chamado Mozart. A explicação é que ela possui uma frequência repetitiva exagerada que acalma pacientes epilépticos e fornece grande auto-estima para parkinsonianos.

O simples ato de cantarolar mentalmente é capaz de fazer com que o cerebelo se sincronize. Aulas de canto estimulam áreas da linguagem e aceleram a recuperação de pacientes com distúrbios da fala. Além disso, tocar qualquer instrumento musical provoca o envolvimento do lobo frontal, responsável pelo planejamento, do córtex motor e córtex sensorial, causando uma reação tátil.

O mais importante é você ouvir o que gosta e o que lhe faz bem!? Nem sei porque disse isso, aliás não consigo imaginar como o funk possa contribuir para algo a não ser para dançar, e olhe lá. Mas bem, aproveitemos a música enquanto podemos ouvir.

Deixo aqui a dica de uma grande música: Teardrop, do Massive Attack, que aparece como tema de abertura da série House M.D. e no último episódio da primeira temporada de Prison Break, vale a pena escutar. Essa tem o Selo de Garantia do Apanhador.





quinta-feira, 22 de maio de 2008

Grande$ Roubo$

Quero deixar claro que quando coloquei esse assunto na enquete eu me referi a roubos cinematográficos, dignos do Ocean, os grandes roubos, e não a roubos mais comuns, como os realizados pelos políticos, os roubos grandes.


-O Grito: Ao nascer do sol em um dia de fevereiro de 1994, dois homens colocaram uma escada próximo a uma janela da Galeria Nacional, em Oslo, Noruega, e quebraram a janela, pularam na sala e pegaram o quadro O grito, de Edvard Munch, o qual vale hoje mais de US$ 7o milhões. Simples assim. Mas a hitória nào termina aí, os admiradores da arte deixaram no lugar dO Grito um postal da obra Uma Boa História, de Marit Walle, na qual três homens estão vermelhos feito tomates de tanto rirem e baterem numa mesa, já sem fôlego. No verso, é claro, um texto: Agradecemos a segurança precária. Talvez por isso, a polícia tenha ficado irada e prendido os dois bandidos alguns meses depois e recuperado o quadro (ou seriam três e um ficou nos bastidores?).



-Asaltos a Bancos: O maior da história aconteceu em 1987, em Londres, quando dois homens invadiram o Knightsbridge Safe Deposit, colocaram uma placa de fechado na porta e sairam levando mais de R$ 400 milhões. Não satisfeitos com a mixaria tentaram roubar outro banco e foram presos. No Brasil o maior foi o assalto ao Banco Central de Fortaleza em 2005. Os bandidos cavaram um túnel de uma casa próxima ao Banco e levaram mais de R$160 milhões, mais de 10 pessoas já estào presas e somente pouco mais de 10% da quantia foi recuperado.


-Van Gogh(s): Nada, nada mesmo, supera o roubo avaliado em mais de um BILHÃO de reais, de 20 quadros de Van Gogh no museu Van Gogh em Amsterdã, em 1991. Logo depois a polícia local achou o quadro dentro de um carro parado próximo ao museu.


-São apenas pedras... : Foi no Centro Mundial de Diamantes da Antuérpia, na Bélgica, o maior centro de lapidação, venda e exposição de diamantes do mundo que ocorreu o maior roubo de diamantes do mundo (meio óbvio,não?). Num fim de semana roubaram 123 dos 160 cofres locais, mais de US$100 milhões. Ninguém sabe, ninguém viu.



Não tentem fazer isso, ou pelo menos não sejam pegos. xD